Não há atalhos para Maturidade Espiritual. (Gn 37)

Escada

Escada

Este é um tema relevante para cada cristão, entender que não existe atalho na vida, sabemos que é um processo contínuo e difícil (crescer),  quando você pensa que está pronto, vem uma nova situação e mostra que não está, não poderia parar  e acabar, situações frequentes e recorrentes em nossas vidas mostra que não estamos preparados ou maduros suficiente. A inaptidão parece nos acompanhar, às vezes falamos ou pensamos, “mais eu estou casado, mais eu sou pastor, mais eu tenho tantos anos de convertido, mais eu já conclui meus estudos, mais eu isso e aquilo”, mas parece que estamos inabilitados segundo o propósito de Deus. Parece que Deus olha para nós e diz: ainda  não está apto. E lembre-se não há atalhos para o caminho da maturidade. Para entender os planos de Deus, para aprender a obedecê-lo, há um caminho sem atalho. Quando analisamos o texto de Gn 37, não enxergamos apenas o título ou o tema proposto, mas sabemos que este tema, também encontra-se nele:

José trazia má fama de seus irmãos: não quero caminhar como muitos costumam pregar ou dizer que José tinha um problema de caráter, quero acreditar que José por ser novo, apenas 17 anos, não tinha maturidade suficiente para entender que seu leva e trás ou entregar seus irmãos não era a coisa mais certa a ser feita. Talvez e bem provável seu pai pedia para que ele observasse seus irmãos, a bíblia não diz isso, mas quem sabe seu pai pedia e José fazia sem perceber o mal iminente, todos nós conhecemos a história de José e sabemos que falar mal de seus irmãos não era a atitude mais nobre dele, sei também que muitas atitudes revelam  ou reflete nosso caráter ou quem somos, independente disso, havia uma plano maior de Deus por trás das circunstâncias que viria acontecer. José precisava amadurecer é lógico, era jovem e posso dizer que Deus não pensava somente naquele momento, mesmo porque, José enfrentaria fases que bem poucos conseguiriam passar.

O amadurecimento faz parte do projeto maior de Deus, seus embates circunstanciais será a forja do sonho de Deus. Amadurecer, custa, dói, machuca, causa às vezes noites sem dormir, os degraus que o imaturo tem que passar é diverso o nosso modelo é José, não quero encontrar significado nas etapas de José, a reflexão não visa isso, a ideia é entender que Deus levou da imaturidade para maturidade cumprindo o propósito de Deus na vida dele e não apenas os seus projetos. Entendam, todos somos imaturos em alguma área, essa área que você patina muito tempo na sua vida pode ser o local que a imaturidade reside, lembre-se não há atalhos para conseguir vencer, somos imaturos em alguma parte e Deus precisa agir porque Ele tem um plano maior e melhor, mas não estamos prontos do ponto de vista divino, aliás, longe disso e com base na história de José entendemos  o propósito de Deus para José.

A maturidade chegará quando conseguirmos reagir bem diante dos problemas, dificuldades, sua reação é determinante e importante. O problema sempre será circunstancial mas dependendo da reação você pode comprometer no que tange ao tempo o propósito de Deus para sua vida. O propósito será efetuado por Deus, mas sua reação corrobora  para seu amadurecimento. Fugindo um pouco da proposta de José, vemos um belo exemplo em Números, quando os 12 espias saíram espiar, na volta eles concordaram no relatório, ou seja, a terra é grande e boa, mas não concordaram nos conselhos, há gigantes, eles inflamaram o coração da congregação com medo e eles ficaram aterrorizados. José reagiu bem diante de seus problemas:

a)José é lançado na cisterna e reage bem.

b)José é vendido pelos irmãos e reage bem.

c)José é vendido como escravo e reage bem.

d)José é caluniado na casa de Potifar por sua mulher e reage bem.

e)José é lançado na prisão e reage bem.

Em momento algum você lê na bíblia que ele (José) reagiu mal, murmurou ou algo assim, José reagia bem nas diversas fases ruins da vida, adquiriu sua maturidade nos momentos tensos, é lógico que não é simples ou fácil passar diante dos problemas como José passou, mas faz se necessário. José para adquirir maturidade conseguiu outra façanha, ele escondia-se em Deus do capítulo 39.2 e 21 diz: O Senhor era com José. Deus estava presente todos os instantes com José, assim como Ele está contigo, a diferença é que nós queremos ver, ouvir, o agir de Deus e muitas vezes não acontecerá, e posso afirmar, que na maioria das vezes não ocorrerá do nosso jeito. Mas devemos aprender com José, esconda-se em Cristo, mesmo que tudo esteja mal, o Sl 91 retrata bem “…aquele que habita no esconderijo do altíssimo à sombra do Onipotente descansará”. Habitar, também é esconder-se e descansar.

Para alcançar a maturidade devemos entender que existe um tempo determinado por Deus para todas as coisas. Eclesiastes 3 retrata bem todos os aspectos da vida, mas quando olhamos a vida de José Gn 41.46, a bíblia diz que: era José da idade de trinta anos quando se apresentou a Faraó…”, ele começou a entender o propósito divino 13 anos depois de ter saído da casa de seu pai, há um tempo para todas as coisas, na sequencia do texto a bíblia retrata que Faraó concedeu uma esposa, ele constituiu uma família depois sua esposa gerou dois filhos, um tempo pré-determinado por Deus, reinar, casar e ter filhos. Talvez para nós se a história de José terminasse aqui, nós leríamos e iríamos louvar a Deus e dizer que Deus honrou José e etc, mas a vida de José não tem um ponto final neste momento, o ápice da maturidade espiritual não chegou com sua ascensão ao trono, Deus sabia que ele (José) precisava vencer um de seus maiores temores e medo, havia um gigante para ser derrotado, quem sabe um fantasma que poderia aterrorizá-lo, Deus tinha preparado o cenário, havia fome na terra e o ápice da maturidade seria o encontro com seus familiares.

Como José trataria seus irmãos?Como você trataria alguém que te fez mal? Se você estivesse no poder você ajudaria ou não? Será que José havia esquecido? Estas situações borbulhavam na mente de José? Um coração maduro passaria, mas o imaturo reagiria muito mal. O ápice da maturidade é o choro do perdão, é o ato de perdoar, perdão não é sentimento, perdão é decisão.

a)As atitudes de José foram legais, logo no primeiro encontro.

b)Dar comida para seus irmãos foi bacana da parte de José.

c)Convidar seus irmãos para comer a sua mesa, foi gentil, mas o choro era o perdão que faltava.

O perdão não é esquecimento, José revela-se no capítulo 45 e versículo 4 dizendo: “…eu sou José a quem vendestes para o Egito”. José não fez isso para jogar na cara de seus irmãos, isto era reflexo da consequência que eles (irmãos de José) fizeram. O perdão é consolo, no versículo cinco do mesmo texto José diz para eles não ficarem tristes nem irritados, ou seja José perdoava e este perdão consolava seus irmãos devido ao grande erro do passado. O perdão une propósitos, quando olhamos para Deus entendemos que o propósito maior, que sempre será Deus agindo em nós e através de nós, lemos que no versículo cinco, José relata que ele foi vendido para a conservação da vida, ou seja Deus tinha um propósito através da situação adversa, Deus desejava conservar a vida deles que formariam a nação de Israel, e por fim, o perdão revela o propósito divino, nos versículo seis, sete e oito, José revela a totalidade do plano de Deus e entende que não foi eles que enviaram José, mas foi Deus que enviou ele adiante (na frente) deles, o perdão sempre revelará através da maturidade o propósito divino.

“O Pastor”.

Anúncios
Publicado em Artigos | 2 Comentários

Preço do Discipulado II

4604400822_4417a56416_oEsses dias um amigo perguntou se eu possuía um material para discipulado. Pensei e pensei, respondi que sim, e perguntei para trabalhar com recém-conversos? Ele disse sim, precisei analisar o fraco material que disponho e enviei. Porque estou dizendo isso, porque todos nós sabemos que não é uma apostila que culminará com o discipulado, o discipulado nosso é a nossa vida toda, andando e aprendendo com Cristo. Esta história de tantos passos para isso ou aquilo é complicada de aceitar, mas enfim às vezes precisamos de um material para disponibilizar em nossas igrejas, para as classes variadas da igreja aprender sistematicamente.

A proposta da continuação é simples, havíamos falado sobre alguns aspectos do discipulado e algumas palavras que nos ajudam a compreender a totalidade do andar com Cristo, estar e andar com Ele não são simples, é uma guerra diária, travada no corpo e na mente, mas seremos vencedor porque nos rendemos a Ele e pelo fato dEle ter nos chamado a caminhar com Ele, quando deparo com a proposta final desta reflexão, das palavras que já mencionamos, encontro o discípulo, talvez não o ideal mas o real,  ele deve ser comprometido exclusivamente com Cristo, não existe vida, fora da esfera Cristo.  A visão, o projeto ou propósito longe de Cristo é perda de tempo, precisamos compreender nosso papel como discípulos de Cristo. A palavra relata em Lc 9.56-62 um caso para analisarmos a luz do discipulado:

  1. O discípulo, se oferece para seguir Jesus, detalhe, não foi chamado, e a resposta de Jesus chama a atenção do candidato a discípulo, para o fato de que  este não sabe o que faz. A resposta de Jesus é simples, o filho do homem, vai padecer e você poderá padecer? Jesus deixa bem claro, para aguentar o discipulado de Cristo, tem que ser chamado por Cristo e padecer por Cristo, ninguém pode chamar a si próprio e padecer (palavras de Jesus).

1.1  Existem pessoas que querem fazer algo sem serem chamadas por Deus, estas jamais entenderão quando estiverem em lutas e provas, jamais compreenderá que fora Deus que chamou, se foi uma chamada autêntica conseguirá vencer os desafios, mas a maioria das pessoas esmorece, pois a chamada veio da emoção fruto de um coração corrupto, falso e pecador  não da vontade  Divina.

1.2  O discípulo chamado por Deus aguenta o sofrimento e padece, porque foi chamado por Deus, ele consegue negar a si, e não negar a Deus, pessoas que não são chamadas no primeiro sofrimento não conseguem padecer e sofrer com Cristo e abandonam seu chamado.

2      Existe a continuação da situação narrada por Lucas, quando é o próprio Jesus que chama, ele lança uma ponte entre ele e o futuro discípulo. É Jesus que inicia, mas na mensagem bíblica o segundo discípulo quer enterrar seu pai antes de seguir a Jesus. É a lei que o prende, Ele sabe perfeitamente o que quer e o que lhe cabe fazer. Primeiro é necessário cumprir a lei, depois seguirá o Mestre. Nada pode interpor-se entre Jesus, a pessoa e o chamado. Nem mesmo a Lei poderia interpor-se, a lei deveria ser quebrada por amor a Jesus, nesse momento Jesus opõe se a lei e ordena o discipulado, ninguém pode opor-se porque este chamado é graça irresistível.

2.1  Há pessoas chamadas por Deus, mas por ser legalistas, têm em sua lista de prioridade muitas coisas, menos seguir Jesus de fato. Pessoas assim trocam ou deixam Jesus facilmente, qualquer prioridade na sua vida será motivo para deixar Jesus de lado.

2.2  Entre o Mestre e o discípulo não poderá ter barreira “jamais”, qualquer obstrução entre você e Cristo, cuidado, você não pode preterir Cristo, Jesus deve ser o centro de tudo em sua vida.

3      O terceiro compreende o discipulado como o primeiro, quer seguir Jesus, mas com condições. No discipulado não existe auto escolhido. É Jesus quem escolhe, lembramos de Jo 15.16 “Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda”.

3.1 Ao contrário, este futuro discípulo  julga justo que, imponha condições.Não imponha condições a Cristo, lembre-se você merecia a ira de Deus e Cristo livrou você desta sentença.

3.2 Cai em total contradição, quer juntar-se a Jesus, e ao mesmo tempo, interpõe  algo entre si e o Mestre: despedir. Inúmeros casos deste em nosso tempo, querem ou dizem querer servir a Deus, mas primeiro querem fazer algo, isto é muito pertinente aos jovens e adolescentes que sempre acham que têm uma vida inteira pela frente e não desejam servi lo na sua juventude.

3.3 Deixa-me primeiro, quer seguir, mas quer ele mesmo impor as condições do discipulado. O discipulado é uma possibilidade de cuja realização o discípulo não impõe condições (o que impõe isso não é discípulo é voluntário), e Cristo não precisa de voluntários no reino precisa de servos (discípulos) fiéis e leais.

3.4 O discipulado que o discípulo impõe suas condições, deixa de ser discipulado (negue-se). Isso é programa de vida que eu faço quando quero, consigo justificar através da razão e da ética. O terceiro discípulo anula o discipulado pois qualquer coisa que interpor entre Jesus e o discípulo anulará o discipulado. O terceiro entra em contradição, querendo seguir e despedir-se ao mesmo tempo, ser discípulo é olhar para o mestre, esquecer-se de suas coisas. Há muitos fazendo programa de vida nas igrejas mas não são discípulos do Mestre porque não conseguem negar o eu, mas o eu tem negado  Ele (Cristo.

Obs: algumas ideias do Preço do Discipulado I e II foram retiradas dos pensamentos de Dietrich Bonhoeffer. Livro Discipulado.

“O Pastor”.

Publicado em Artigos | Deixe um comentário

Preço do Discipulado I

 

Discipulado“Preço do Discipulado I”

Gostaria de refletir neste dia sobre  o (preço do Discipulado), nos tempos que estamos vivendo  é possível dizer que existe custo no discipulado !!! Será que podemos afirmar que existe ou não existe !!! Quando olhamos para o discipulado uma das primeiras palavras que nos vêem a mente é Graça. O problema é que a Graça nunca foi barata, a Graça custa, a Graça barata é inimiga mortal da nossa Igreja. Lutamos hoje pela Graça de grande valor.

a)    Graça barata é pregação do perdão sem exigir arrependimento.

b)    Graça barata é apelar no apelo, acreditando que você e não o Espírito vai convencer o miserável pecador.

c)    Graça barata é a comunhão sem confissão.

d)    Graça barata é a absolvição sem confissão pessoal.

e)    Graça barata é a graça sem discipulado, sem cruz, sem Jesus Cristo, vivo e encarnado.

f)     Graça barata são os sacramentos, o perdão dos pecados e as consolações da religião atirados a preços reduzidos.

Graça sem preço, sem custo é assim; supomos que a conta foi paga, e porque ela foi paga pode-se ter tudo de graça. Uma vez que o custo foi infinito, as possibilidades de usá-la e gastá-la são infinitas. É como o ladrão, que fora sentenciado há muitos anos de prisão e clama junto ao juiz e suplica para não ser enviado a prisão. Ele não tinha a intenção de parar com o comportamento pecaminoso que o deixou em apuros, ele apenas queria livrar-se, escapar da sentença. Queremos escapar da sentença INFERNO, mas não queremos parar de pecar.

Graça de grande valor é o tesouro escondido no campo, pelo qual o homem vai alegremente e vende tudo o que tem e compra.  Esta é a pérola de grande valor que, para comprá-la o negociante vendeu tudo o que tinha, para possuir a única pérola. A Graça é tão preciosa, tão valorosa que o verdadeiro discípulo larga tudo, deixa suas redes e o segue. Graça preciosa é o dom pelo qual o individuo tem que orar para receber, é a porta que o sujeito tem que bater, é Graça mas não está de Graça. É Graça por chamar ao discipulado, é preciosa porque custa a vida ao ser humano, e é maravilhosa porque concede vida eterna, é justa por condenar o pecado, e é Graça por justificar o pecador.

Ninguém é forçado a estar com Cristo, “…se alguém quiser vir após mim”, nada se impõe, o próprio discípulo convencido pelo Espírito e convicto toma a decisão depois de arrepender-se dos erros e pecados de ser discípulo de Cristo, “…se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue”,  Pedro fez isso em relação a Cristo…porém fez errado, ele deveria ter negado ele(Pedro) e não Cristo. Ele negou não o conhecia, devemos dizer o mesmo de nós, (esse homem no caso eu, o meu eu, a minha pessoa, eu não o conheço, apenas conheço o Cristo que habita em mim) a autonegação consiste em apenas conhecer Cristo e não a si próprio, a autonegação consiste em você tomar a sua cruz e seguir Jesus. O Messias preparou os discípulos para receber a sua cruz, através da negação do eu.

Nós devemos compreender que a cruz não é pesada, nem sofrimento, que não pode ser suportada, a cruz é o resultado da sua união com Cristo. A cruz é o sofrimento necessário, é o sofrimento de pertencer a Cristo, a cruz não é apenas  sofrimento, é o ato pelo qual você pertence, foi comprado, redimido, enxertado e agora pertence a alguém.  A cruz é rejeição, por amor a Cristo, tomo a cruz e rejeito as coisas do mundo e sou rejeitado. A cruz já esta preparada desde o inicio, falta apenas levá-la, nossa cruz já esta preparada, não precisamos sair atrás de cruz, Deus já preparou a medida do sofrimento, da rejeição e da nossa humilhação. Há uns que Deus honra com maior sofrimento e rejeição, dando inclusive, a Graça do martírio, a outro não, Ele sabe que alguns não teriam forças para suportar.

O primeiro sofrimento com Cristo ao qual ninguém escapa, é o chamado a morte do velho EU no encontro com Jesus Cristo, o EU precisa morrer, quem entra no discipulado, entrega-se a morte, o calvário não mostra seu fim, mas o inicio de uma eternidade com Cristo. O sofrimento é característica dos seguidores de Cristo, é passio passiva, ou seja é obrigatório. Por isso, Lutero incluiu o sofrimento no rol dos sinais da verdadeira Igreja, um anteprojeto da Confessio Augustana definiu a Igreja como comunidade dos que são “…perseguidos e martirizados por causa do Evangelho”. O Sofrimento e a rejeição, estão intimamente ligados a comunhão com Cristo, quer comunhão com Cristo !!! O Sofrimento e a rejeição, ligará você, quando abraçar a cruz e obedecer Cristo. (haverá continuação).

 

“O Pastor”.

 

Publicado em Artigos | 1 Comentário

Qual a sua reação quando ouve falar de Jesus?

Estamos diante de um dos maiores relatos da História, Mt 2,fala sobre o nascimento do Salvador, os magos acompanham  o maior evento da história, o nascimento de Jesus Cristo, uma estrela brilha no céu, mas creio que era uma estrela com maior intensidade que outras, havia mais brilho nesta estrela, pois os magos resolveram acompanha-lá, não que não queira dar atenção a este fato, mas tenho muito a falar. Quando chegaram em Jerusalém, foram até o Rei Herodes, precisamos ter consciência que o Império Romano, dominava, Herodes, controlava a região e os magos trouxeram  uma pergunta, simples, porém, bombástica…”Onde está o recém-nascido Rei dos Judeus?” Algo estava errado, os magos não deram conta que o Império já possuía um Rei? Em especial aquela região, mas algumas situações chamam a atenção nesta primeira parte do texto:

1)    Qual o “lugar” que, Ele(o menino) encontra-se?

2)    Nasceu ontem e já era Rei?

3)    Era Rei de um povo específico – (Judeus).

Os Magos com aquela pergunta alvoroçam o Reino de Herodes, pois quando o Rei perturba-se o país fica perturbado, quando o Rei fica inquieto a nação fica alvoroçada. A principio a Biblia diz que: Herodes “perturbou-se”, e logo “Jerusalém”, ficou perturbada. Que informação  é esta que tem o poder de perturbar um Rei e deixar uma cidade, ou uma nação inquieta?

Compartilho a reflexão de hoje, deste ponto.  Qual a sua reação quando ouve falar de Jesus? Será que você fica parecido com Herodes e a cidade “perturbado”? Quem sabe você não está muito preocupado, será que você preocupa-se? Será que não dá a mínima para esta informação? Qual a sua reação? Será que nós temos a reação dos magos? Vejamos:

a)    Os Magos são atraídos pela Estrela e saem ao seu encontro: a partir do momento que eles contemplam a estrela, eles não ficam imóveis, pelo contrário, começam a caminhada, não seria fácil a caminhada, a informação continha riscos, mas eles – não calcularam o perigo, afinal a estrela é mais bela que os riscos, mesmo que o sofrimento seja a recompensa de seguir a estrela mais bela que existe, para estes magos, o ápice seria o encontro, mesmo que a dor ou quem sabe a morte acontecesse para efetivar o encontro.

b)    Os Magos possuem uma informação que perturba: Quando os Magos chegam no palácio de Herodes e contam a informação, a Bíblia diz que: …tanto o Rei quanto  a cidade “perturbaram-se”, pergunta, a informação que você tem, perturba?Tem causado, incômodo? A pergunta que você faz, qual é a reação sua ou de outrem quando ouve falar de Jesus? Você vai ao encontro, fica parado ou transtornado?

c)    Os Magos tem uma mensagem atual de “boas novas”: A mensagem dos magos é atual, a nossa mensagem não é…e por isso não tem causado o impacto que deveria, os magos não eram pregadores eloqüentes, nem mesmo pregadores de “fogo”,  como costumamos dizer, mas possuíam a informação mais valiosa, você sabia que você possui a informação mais valiosa, preciosa, que é capaz de deixar uma geração perturbada um Reino inteiro em crise? Os magos não pregaram com unção, apenas passaram uma informação Cristocêntrica, o poder da mensagem Cristã ainda tem o poder de perturbar.

d)    Os Magos mostram o que devemos fazer: Após saírem do Palácio de Herodes, eles continuam acompanhando a estrela, enfim acham o local “Belém de Judá”, cumpre se a profecia de Miquéias 5.2, que o Salvador nasceria nesta cidade, quando os Magos encontram Jesus, a Bíblia diz que: … eles adoram o menino e depois ofertam. São duas situações que aprendemos. Devemos adorá-lo quando encontramos e depois oferecer uma oferta, os magos mostram que a adoração vem antes da oferta, aprendemos que todo adorador é um ofertante, mas nem todo ofertante é um adorador. O maior exemplo que nós temos é da mulher que foi até Jesus em Bethânia, na casa de Simão o Leproso, quando ela descobre onde (local) que Jesus estava, ela vai até o local, detalhe, não de mãos vazias, mas leva uma oferta de nardo puro e derrama em Jesus.

e)    Os Magos são orientados por Deus: Na volta para casa a Bíblia é clara e diz que: … em sonho Deus avisou para não voltarem a Herodes, e retornaram a sua terra, por outro caminho. Mais uma lição que Deus concede através dos Magos, orientação, porém quero puxar um lado desta orientação para outro aprendizado. Enquanto tivermos um rei Herodes em nossa vida, Jesus fugirá para o Egito, Jesus não compactua com Herodes, a Biblia é enfática e diz: …depois que Herodes morreu, o anjo aparece em sonho a José e diz para voltar. A Orientação de Deus para nós, é que tenhamos Jesus como Rei em nossas vidas, qual o rei que governa sua vida? Herodes ou Aquele que é nascido Rei dos Judeus? Enquanto Herodes viver, Jesus afastará até quando Herodes morrer de fato na sua vida, deixe que Jesus reine sobre sua vida.

“O Pastor”.

Publicado em Artigos | 1 Comentário

Paradoxo

Pode ser que o amanhã melhore, mas hoje não tenho motivos para comemorações, por favor apenas hoje, entenda quando digo isso, sou conhecedor pleno da palavra e jamais deixarei de agradecer a Deus pelo dia, trabalho, saúde, família e Igreja.

Mas quando falo em especial neste dia, que não é dia de comemorações, porque quando olho há minha volta, não há volta, quando olho ao meu redor, não há redor.

Um dia lúgubre que esconde a fria e tênue sombra da vida, não há alegria no meu olhar, simplesmente uma lágrima teimosa que insiste em rolar neste dia, meu sorriso é irônico e somente abre devido ao respeito a outrem, ou pela colocação hilária mas sem graça que alguém tentou na insistência a toa de ver (este) feliz. Felicidade de Sorriso? Pura ironia, sendo o sorriso a falsidade dos lábios e a felicidade a falsidade da alma, pois com eles enganamos a realidade; mas neste dia ignoro e não quero ser enganado, quero enxergar tudo e todos.

O que apresentam é falso, sei da minha realidade, e quando contemplo não agüento, fico triste, é normal, homens também choram !!! Essa realidade é dura despedaça meu coração, mas é preciso enfrenta la, aqui não existe super-heróis, apenas um homem que pensa e sente.

O fruto desse dia é reflexão é nostalgia pura, é o desejo de ver quem não está perto, é receber um abraço de quem te criou, é ouvir um: filho eu te amo, não por telefone, é sentir o toque, o aperto do abraço, é chorar de regozijo, é sentir o que não faz sentido, é entender o abstrato, mesmo que nada disso seja real ou que venhamos a ser confrontados, devemos entender mesmo que não tenhamos nada, ou… que nosso sorriso não venha brotar, ou a lágrima que teima em rolar, ou a realidade que ignora a fé, devemos acreditar no Deus que servimos e que o propósito do Eterno sempre será mais elevado que os nossos, (sentimentos, pensamentos, sonhos, desejos) e tudo que reside puramente em nós, tudo isso não deve constranger-nos a ponto de nos fazer desacreditar, pois a confiança atrelada a fé em Deus nos fará herdar tanto as promessas na terra quanto a entrada na vida eterna.

“O Pastor”.

Publicado em Artigos | 1 Comentário

Porque a dor é necessária? Porque o sofrimento é necessário?

Dor e Sofrimento

Dor e Sofrimento

Talvez você possa estar pensando que o “Pastor” enlouqueceu, não é?Não existe uma única resposta ou não existem respostas fáceis para estas perguntas. De repente você possa pensar, seria interessante não sentir dor! Já imaginou? Vamos supor que ninguém tivesse dor, você poderá pensar… “isso seria uma maravilha”, eu pergunto, será? Será mesmo que se não tivéssemos  dor ou sentíssemos isto que damos o nome de sofrimento, o mundo seria melhor? A vida seria melhor? Nosso  dia a dia seria melhor? Quem nos garante? Muitos ou a maioria reclamam da dor, mas você sabia que a dor é necessária? Só tem sentimento quem tem dor. E quando falo de sentimento, digo (sentir) literal da palavra e não falo da questão do sentimento subjetivo. Acompanhe o raciocínio:

Fernando Reinach é biólogo, professor da USP e empresário na área de biotecnologia. Artigo publicado em “O Estado de SP”: O menino de 10 anos se exibia andando sobre brasas e perfurando seus braços com facas. Seus braços apresentavam feridas abertas e seus pés tinham queimaduras graves. Ele não sentia dor. Foi esse pequeno paquistanês que levou um time de cientistas a procurar outras famílias com a mesma doença. Foram localizadas três famílias, uma com três crianças afetadas, outra com duas e outra com uma menina afetada; um total de seis pacientes.

O menino que despertou o interesse dos cientistas não pôde ser incluído no estudo porque morreu ao saltar de um telhado. Examinando os outros pacientes, se constatou que eles realmente não sentiam dor, mas tinham o sentido do tato inalterado e eram capazes de sentir pressão, calor e frio. Todos eles haviam perdido parte da língua e dos lábios após terem se mordido acidentalmente na infância. Muitos também apresentavam cicatrizes no corpo e diversas fraturas nos membros. A árvore genealógica das três famílias mostrou que as crianças afetadas eram filhos de casamentos consangüíneos, geralmente entre primos da mesma família.

Isto demonstra que a doença é hereditária, e só se manifesta se a pessoa herdar duas cópias do gene defeituoso, uma da mãe, outra do pai. Como o gene alterado é muito raro na população, a probabilidade de uma pessoa afetada surgir de um casamento entre famílias distantes é extremamente baixa. Analisando o DNA dos membros das três famílias e de posse da seqüência completa do genoma humano, foi relativamente fácil descobrir que o gene defeituoso estava no cromossomo 2. Análise detalhada revelou que o mesmo gene estava alterado nas três famílias. O gene, cujo nome é SCN9A, já havia sido descrito. Ele é responsável pela produção de uma proteína envolvida na transmissão dos sinais elétricos nas células do sistema nervoso.

Apesar de o gene alterado ser o mesmo nas três famílias, a alteração que o  fez perder sua função é diferente em cada caso. O curioso é que existe uma  outra doença, descrita faz muitos anos, na qual esse mesmo gene está envolvido.  Pacientes com a doença, chamada de erythermalgia, possuem versão hiperativa do gene, sentindo dores fortíssimas, como queimaduras, quando encostam em um objeto morno. O fato de a ausência de funcionamento desse gene levar a uma total incapacidade de sentir dor, associado à observação de que pessoas com uma versão mais ativa do gene sentem dores fortes, confirma que ele está diretamente envolvido com o mecanismo da dor e apesar de a medicina ter a seu dispor dezenas de analgésicos e anestésicos, nenhuma dessas moléculas age diretamente sobre a proteína produzida pelo SCN9A.  A descoberta pode permitir o desenvolvimento de nova família de moléculas capazes de bloquear a atividade da proteína codificada pelo SCN9A. Isso permitiria bloquear a dor sem induzir o sono. A história que une a criança que se autoflagelava no Paquistão a uma droga capaz de suprimir a dor é mais um exemplo dos caminhos sinuosos da pesquisa científica.  Mais informações em: An SCN9A channelophathy  cause  congenital inability to experience pain. Na Nature, volume 444, página 894. (O Estado de SP, 25/1)

Temos neste momento  algumas situações: primeiro havia o menino de 10 anos que exibia-se andando sobre brasas, perfurava seus braços com facas e havia feridas abertas e seus pés tinham queimaduras graves. Segundo, outros pacientes constataram que não sentiam dor, mas tinham, o sentido do tato inalterado, e eram capazes de sentir pressão, calor e frio. Todos haviam perdido parte da língua e dos lábios após mordidas acidentais na infância, outros apresentavam cicatrizes no corpo e diversas fraturas nos membros, como o próprio texto relatou e o maior detalhe, foi a descoberta que esta doença vem do casamento consangüíneos a doença é hereditária mas tem  que herdar genes defeituosos. Nesse momento a pergunta do leitor é a seguinte, em que lugar o senhor gostaria de chegar? Simples. A dor é necessária, não senti-la é uma doença. Só tem sentimento quem tem dor, e somente tem marcas e cicatrizes quem sentiu a dor um dia, a ferida ou queimadura, e foi sentindo que procuraram tratamento e a cicatriz do hoje é a recordação que no ontem seu corpo precisava de ajuda, ser curado e cicatrizado.

Porque a dor é necessária? Porque o Sofrimento é necessário?

a)    A dor nada mais é que um Aviso, para dizer ao dono do corpo “atenção tem algo errado contigo”. Quando você tem qualquer tipo de dor ou sintoma que julga que não esta bem, é na dor que seu sinal de alerta é ligado. Nosso corpo é sensível e sentimos tudo praticamente, o que perfura, machuca, corta, dores variadas “sentimentais, emocionais” etc, se você não sentisse dor, jamais sentiria a necessidade de tratar do problema. A dor te arremete ao sofrimento.

b)    Porque o sofrimento é necessário? Uma vez o corpo alertado do problema, sendo a dor o aviso, o sofrimento trás consigo o desconforto, o sofrimento é o corpo dizendo: “…ei cidadão toma uma atitude”. A dor avisa mas é o perturbar  do sofrimento que faz você tomar uma atitude. Se você não sentisse dor, como tomaria uma atitude?

c)    Já imaginou, se não houvesse dor?Teríamos inúmeras machucaduras e feridas abertas e incuráveis. É na dor e no sofrimento que corremos atrás do tratamento adequado, a dor e o sofrimento existe para que a ferida aberta seja cicatrizada e depois do tratamento a cicatriz deixa a marca, quando você olha sua marca imediatamente você se lembra do problema que foi tratado, a marca tem um poder tremendo de trazer recordações, lembranças de dores e sofrimentos que foram curados.

d)    Quem pensa que a vida sem dor e sofrimento seria melhor é porque na sua vida ainda falta sentido. Quando temos sentido ou entendemos qual o verdadeiro sentido da vida, aprendemos que a dor faz parte do projeto e trajeto diário. Seria impossível contemplar uma caminhada sem obstáculos, é utopia não enxergar problemas e achar que tudo será um conto de fadas. É no sofrimento que você entende e contempla propósitos do Altissimo. É no sofrimento que você valoriza a vida. É no deserto que você valoriza água.É no perecer diário da dor, angústia e sofrimento que você vê e (senti) o verdadeiro sentido (real) da vida.

e)    A dor  e o sofrimento fazem parte da vida, para você  não perder parte do que é precioso. Esta provavelmente é a parte que mais chama minha atenção,a vida nos constrange com sofrimento para não perdermos o que nos é caro, custa, o que é realmente de valor. A dor coloca preço e o sofrimento decide,  se é justo pagar ou não, lutamos por aquilo que acreditamos, amamos, lutamos pelos nossos valores, quais são os valores que você esta decidido a lutar? A dor mostra o quanto seu corpo ou alguém é precioso, é por isso que o sofrimento está atrelado definitivamente com o amor, se o amor por vezes nos faz sofrer, é este padecer ou sofrer que nos diz: “…vale a pena”. Quando olhamos para Cristo no Alto do Calvário vemos o amor, mas contemplamos muito sofrimento, é impossível desassociá-los. Somente quem amou de verdade saberá também o que é sofrer de verdade e carregar no seu corpo as marcas do amor, assim como Cristo carrega em seu corpo as marcas do seu amor por nós. O que é precioso a você? Já imaginou perder um braço, uma perna, os amigos, a família, a Igreja e não sentir? Você estaria sofrendo da doença que destacamos no inicio e nem estaria percebendo.

Conclusão.

Sofremos e temos dores porque somos normais,(graças a Deus), sofremos e sentimos dores porque somos seres humanos e muito humano, e quando falo de nossa humanidade digo, somos humanos sadios, pois sentimos, aqueles que estão doentes, são humanos mas já deixaram de sentir e hoje sofrem com machucaduras abertas, feridas por todo o corpo, braços mutilados, lábios e línguas cortadas, seus corpos são um verdadeiro retalho humano, então, por mais difícil que esteja a vida, independente da dor e do sofrimento que você esteja passando, agradeça a Deus porque você consegue senti-los e tomar atitude diante deles, que Deus em Cristo Jesus possa capacitá-lo a vencê-los, mas saiba de algo, mesmo vencendo a dor e o sofrimento, sempre ficará um sinal, uma marca para fazer você lembrar o que aconteceu contigo e que foi a boa mão do Senhor que nos livrou.

“O Pastor”.

Publicado em Artigos | 7 Comentários

Porque Deus se cala? Porque Deus fica em Silêncio?

“O Silêncio de Deus”

Porque Deus emudece? Porque Deus fica em silêncio?  Porque Deus se esconde? Porque quando eu mais preciso de ouvir sua  voz Ele parece estar longe? Não são perguntas fáceis de serem respondidas, não existe respostas prontas para esta questão, e creio que  pelo fato de ser um aspecto as vezes subjetivo da vida, vez por outra entra também no campo da relatividade, e o que é para você não é para mim, o silêncio de Deus para minha vida poderá ser de um jeito e para você de outro, porém estou convicto que Seu Silêncio já alcançou seu coração em algum momento da sua vida e como é difícil quando Deus se cala.

Estes Textos  exprimem o grito do Salmista, Sl 83.1 “Ó Deus, não estejas em silêncio; não cerres os ouvidos nem fiques impassível, ó Deus”. – Sl 10.1 – Sl 13.1 – Sl 27.9 –  Sl 55.1 – Sl 89.46 – Sinal que em algum momento Deus ficou em Silêncio. Grandes Homens de Deus experimentaram o silêncio de Deus.

a. Jacó:  Quando seus filhos mentiram sobre a morte de  José, porque Deus se calou em meio a mentira?

b. José: Na etapa de preparação, quando foi colocado na cisterna por seus irmãos, depois vendido a caravana de Ismaelitas, depois vendido a Potifar no Egito, caluniado pela esposa de Potifar, foi para o cárcere e lá permaneceu 13 anos. Porque Deus se calou nestes anos?

c. Moisés:  Nasceu no Egito foi  levado a filha de Faraó para sobreviver, foi criado na cultura egípcia, matou um homem e saiu do Palácio, precisou ficar 40 anos no deserto para ocorrer algo ou  entender alguma coisa. Mas porque Deus se calou durante esses  anos de Moisés?  É necessário entendermos algumas situações do nosso Deus, os princípios de Deus são totalmente diferentes dos nossos.

Porque Deus fica em silêncio? Porque Deus se cala?

1. O Silêncio faz parte do Projeto de Deus (também conhecido  como Preparo): Deus trabalha diferente do homem, o homem  trabalha falando e Deus trabalha em silêncio. Seu projeto  se faz no silêncio e não nos gritos. Quando Deus emudece com Jacó  – penso  eu ,,porque emudecer com um homem como Jacó?  Entre aspas,  Jacó  havia perdido um filho, Deus não pune seus irmãos(irmãos de José), Deus não fala  para Jacó, não usa um profeta, Deus poderia dar  um sonho, mostrar de alguma forma, poderia  chegar e dizer é mentira de seus irmãos, simplesmente se cala e seu silêncio  duraria  13 longos  anos. Que projeto? Que preparo Jacó necessitava? Um  homem  (maduro) já havia passado por dezenas de experiências, tinha visto a mão de Deus sobre seu rebanho, tinha a provisão de Deus, lutou com o anjo  de Deus (uma Teofania: o próprio Deus),  o que este homem precisava? Este é  o nosso problema sempre pensamos que não precisamos de ser moldados  lapidados por Deus, e Deus se cala dizendo você não está pronto, o meu modo de preparar é assim!! O meu jeito de deixar você alinhado com meu projeto é em silêncio. Se tem algo que incomoda o ser humano é o silêncio. E Deus é  especialista pois criou  o ser humano e sempre trabalhará no incomodo do ser humano.

2. O Silêncio determina nossa dependência; a Deus ou ao mundo: Você é dependente de quem?  É no  silêncio que sua dependência exterioriza. É no silêncio de Deus que damos nossos gritos (Gritos da Alma). Algumas pessoas pelo fato de Deus calar-se por um tempo  desesperam (Lembram do fato de Ex 32 bezerro de ouro?Deus falava com Moisés mas o povo queria falar com Deus, mas por alguns  momentos (Deus estará ocupado sim) e não falará conosco. Deus é obrigado a falar conosco a todo  instante? Não!!! Precisamos  de respeitá lo como Deus e como pessoa. As vezes realizamos isso, quando Deus se cala resolvemos pelo nosso desespero colocarmos bezerros de ouro no lugar, e não dependemos do Eterno, nosso desejo é contemplá-Lo mesmo entendendo que o bezerro não fará nada por nós, mesmo compreendendo que isso não vai mudar a situação, sabemos que bezerros não realizam milagres, mas levantamos estes altares devido ao Silêncio de Deus.  José amargou etapas que poucos resistiriam, lançado na cisterna por seus irmãos, vendido a caravana de  Ismaelitas, depois  vendido a Potifar no Egito, caluniado pela esposa  de Potifar, foi parar no cárcere e lá permaneceu  2  anos. José dependia de quem? Deus!!! É no silêncio que Deus diz…dependa de mim.

3. O Silêncio de Deus Revela nossa humanidade e não nossa deidade: O  homem tem conseguido quase tudo, muitas inovações neste século, melhorou nossa vida gradativamente,  a ciência tem multiplicado, avanços em todas as áreas, sua influência é tão grande que até o clima mudou. Mais muitas vezes é no silêncio do Altíssimo que a criatura diz, existe um criador, e eu preciso de Ti, em alguns momentos este homem tão independente de Deus sente-se frágil, chora, precisa de um milagre e por mais influente que ele seja, ele chegará num denominador, preciso de Deus, nesse momento Deus revela algo óbvio porém necessário, que Ele é Deus e você humano,  isso é para aqueles que ainda não sabem, porque alguns acreditam  ser semi-deus, alguns momentos são destinados a esfera humana e algumas  dimensões são puramente nossa, mas outras esferas haverá a influência do Altíssimo. Se tem alguém que poderia bater no peito e acreditar que  era um semi-deus, era Moisés, Deus vai ao encontro de Moisés, revela sua vontade a Moises, trás Moisés de Midian, coloca frente a frente com um dos homens mais poderosos da terra (Faraó) e realiza um sinal, milagre atrás do outro, se não bastasse, o povo é liberto e Deus  conduz o próprio povo no deserto falando com Moisés os detalhes do que precisava ser feito em tudo. Porém antes do projeto de Deus na vida de Moisés, na época do preparo Deus calou-se, ficou em silêncio, 40 anos passaram, até Deus dizer é tempo suficiente. Porque todo este tempo? Quarenta  sempre tem a representatividade de luta, tentação, provação, 40 dias foram os dias que choveu sobre a terra e Noé precisou da boa mão do Senhor para obter livramento, 40 foram os  dias da tentação do Mestre, sempre que a   bíblia refere-se a 40 será  um número completo de lutas e provas. Porque Moisés permanece 40 anos então? Era necessário? Sim, o deserto esvazia o eu.

4. O Silêncio existe para Deus entender qual é a sua direção: As vezes não temos senso de direção, e isso é compreendido  perfeitamente pelo Senhor. Deus sabe e a todo momento pedimos sua  direção, isso é bom e necessário, e Deus sempre fica em Silêncio “parece”, porém como dissemos, Deus  trabalha diferente, é no silêncio que Ele entende qual é a sua direção. José poderia ter indagado Deus. Senhor é necessário vir ao Egito? Senhor é preciso eu sofrer tanto? Senhor é preciso eu ser caluniado? Senhor não tem como livrar da mulher de Potifar? Ou pelo menos livrar da cisterna ou quem sabe da cadeia? Deus ficou em silêncio, suas questões eram legítimas mas Deus permanece em Silêncio ,,o Silêncio de Deus  indica que estou na mão certa. Se José por algum momento saísse do caminho do silêncio de Deus, e realizasse sua vontade, estaria fora do propósito! O lugar da vitória de José era no Egito! O Silêncio de Deus indicará o lugar da sua vitória, sei que é difícil mas calma! Vai chegar um momento que Deus preparará tudo e você será honrado. Mas Deus quer saber qual é a  sua direção em meio ao silêncio.

5. O Silêncio de Deus conserva a Vida: Você sabia que o Silêncio de Deus conserva nossa vida? O que é mais importante? Receber a  vitória ou conservar a vida para alcançar a vitória? Existem pessoas que para alcançar a vitória morrem. A vitória não pode ser um fim  em si mesmo, e sim um meio. A vitória foi feita, arquitetada  para você, a vida foi realizada  para que a vitória te alcance em algum  trajeto da caminhada e não você morra antes do fim da caminhada. A Vitória foi construída, fabricada por Deus para que em algum momento da sua jornada você encontre ela ou seja alcançado por ela. Não Cremos nisso, pregamos mas não vivemos, Deus  queria saber destes homens se eles queriam somente a benção, a  Vitória ou a vida!!! O que você deseja? A benção ou a vida? A benção está na vida, e a vida é uma benção, tanto Jacó, José e Moisés, precisavam viver para aprender que no silêncio  Deus reservava surpresas, o silêncio de Deus conservou a vida de José, se ele soubesse quem seria talvez não chegasse ou tentasse chegar sem Deus, e sem Deus nada dá certo, Deus quando chama Abrão, Ele diz que: “…levaria Abrão para uma terra, mas não disse o nome da terra” isso é dependência e conservação da vida, José no  ínicio talvez não seria forjado como foi, Deus somente lança luzes, ventila no  ínicio da caminhada de José o que ocorreria através de sonhos e silencia, esconde-se!!! Se Deus contar o plano todo você morrerá no meio do caminho porque é do ser humano querer esquivar se dos problemas e muitas vezes estão nos problemas a proteção que precisamos. Não reclame dos problemas apenas agradeça, o silêncio de Deus e diga ao Senhor, eu sei que é difícil mas é o caminho que o Senhor quer que eu passe, a cruz olhando pelo lado racional  é loucura, seria melhor um outro caminho, mas era necessário que Jesus passasse pela cruz. Foi na morte de Jesus que encontramos a conservação da vida. Se José escolhesse outro caminho não chegaria  a chefe de Governo, se  Moisés escolhesse fugir do deserto de Midian quando apascentava ovelhas que não eram sua, não seria o maior estadista de Israel, se Jacó tivesse escolhido outro caminho quem sabe o caminho de investigar a morte de seu filho não enxergaria a recompensa de saber que Deus conservou com vida José para um plano maior, o silêncio conservou ele com vida.

 Conclusão

Chegará um momento que Deus vai  ao encontro, para quebrar o Silêncio. Mas entenda algo, tanto Jacó, José e Moisés receberam o silêncio por fazer parte do plano mas também porque Deus precisava trabalhar na vida deles, leiam com atenção:

a)Jacó mentiu  ao seu pai (direito de primogenitura) mentiu que era Esaú e roubou o direito de primogenitura, mais cedo ou mais tarde a mesma mentira (a semente plantada) alcançaria Jacó e Deus ficaria em silêncio.

b)José contava tudo de seus irmãos ao seu pai, a bíblia diz que ele(José): “…trazia uma má fama deles”, José era dedo duro, precisou passar pelo processo do silêncio de Deus, cisterna, vendido, caluniado (era mentira da mulher de potifar) mas precisou passar,as fases de Deus cura o caráter, foi para o cárcere e Deus em silêncio.

c)Moisés tinha duas situações formação Egípcia e um homicídio, 40 + 40, era a pena do Silêncio de Deus. Deus precisava retirar isso da vida de Moisés. Mas Deus não quebra princípios, sua benção virá mas Deus não quebra princípios. Porque Deus fica em Silêncio? Porque naquilo que você errou, Deus quer fazer novo em você!!! Tem um preço pelo que você plantou. Qual área que você errou no passado? Qual área que Deus está em silêncio na sua vida? Será que isso pode conferir?

“O Pastor”.

Publicado em Artigos | 46 Comentários